‘Vai ficar na minha senzala’

Um médico da região de Goiás, identificado pelo nome de Márcio Antônio Souza Júnior, filmou um caseiro negro acorrentado pelos pés, mãos e pescoço em uma fazenda.

Diante do caso exposto, a juíza Erika Barbosa Gomes Cavalcante, da Vara Criminal, condenou o profissional da saúde a pagar 300 mil reais de indenização pelo crime de racismo.

Continua depois da publicidade

O caso gerou muita revolta nas redes sociais, pois os vídeos foram divulgados nestas plataformas. E após a repercussão, o médico alegou que se tratava apenas de uma ‘zoeira’, uma ‘brincadeira divertida’.

O crime aconteceu em meados de 2022. O homem filmado trabalhava como caseiro e recebia um salário mínimo pelos seus serviços na fazenda do médico. E conforme as investigações, Márcio encontrou os itens na igrejinha da fazenda, colocou no homem, gravou o vídeo e publicou para circular nas redes sociais.

“Falei para estudar, mas não quer. Então vai ficar na minha senzala”, declarou o médico, enquanto realizava as gravações de toda a situação. Devido ao caso ter repercutido de forma negativa, o médico gravou outro vídeo, tentando se explicar e alegando que tudo não passou de uma ‘encenação teatral’ que não faria apologias.

E após o caso ter sido investigado pela Justiça, o médico recebeu a condenação. O dinheiro da indenização deverá ser dividido entre a Associação Quilombo Alto Santana e Associação Mulheres Carolinas.

“Trata-se de um vídeo absolutamente criminoso, evidenciando o crime de racismo contra uma pessoa negra, com apetrechos utilizados na época da escravidão”, declarou a Justiça diante da condenação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais