Menino de 4 anos falece abraçado ao pai após receber 8 tiros; ex-marido de uma terceira vítima é o suspeito do crime

Uma criança de apenas quatro anos de idade foi brutalmente baleada com oito tiros durante um triplo homicídio registrado pelas autoridades policiais na madrugada do último domingo (30) na cidade de São José de Mipibu, localizada na região metropolitana da cidade de Natal, a capital do Rio Grande do Norte.

Davi Lucas Bezerra da Silva foi tragicamente assassinado na companhia de seu pai, Lucas da Silva Bezerra, de apenas 19 anos de idade, e de uma amiga da família, identificada como Claudiene Francisca Torres, de 26 anos.

A mãe e a irmã mais nova do menino de quatro anos, que também se encontravam no interior do imóvel, conseguiram, por sorte, escapar com vida.

Segundo a mãe de Lucas, avó do menino de quatro anos, o jovem tentou heroicamente proteger a criança com o seu próprio corpo, sendo baleado 10 vezes.

Mesmo abraçando o filho na tentativa de livrá-lo dos tiros, os criminosos conseguiram acertar múltiplos disparos no pequeno garoto.

“Vai ser difícil conviver com essa dor. É uma dor que nenhuma mãe quer passar. A gente fica se perguntando por que tiraram a vida dele (Lucas) e do meu neto. Ele era um pai maravilhoso, cuidava dos filhos dele muito bem e é tanto que ele deu praticamente a vida para salvar a vida do filho, mas não conseguiu, infelizmente”, desabafou a matriarca da família, Edilene Anacleto da Silva.

Ainda segundo Edilene, a família buscará por justiça e ainda não foi capaz de compreender o motivo da crueldade. Para ela, o mais doloroso foi presenciar a cena do crime, ao ver o olhar de “socorro” de seu filho, já sem vida.

Conforme informações da Polícia Militar, os autores do crime eram quatro indivíduos, todos eles embarcados em um veículo de cor preta.

Além disso, uma testemunha garantiu que a mulher assassinada vinha sendo perseguida pelo ex-marido, sendo uma das prováveis causas do crime.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais