Após tragédia em creche, Governo Federal anuncia medidas de combate a violência nas escolas

A quarta-feira (05/04) ficou marcada por uma violência sem tamanho em Blumenau, Santa Catarina. Uma creche, da rede privada, foi invadida por um homem que matou quatro crianças e deixou uma em estado grave.

O crime acontece poucos dias após outro atentado, em São Paulo, que também chocou o país. Neste caso, um aluno de 13 anos atacou colegas e professores na escola onde estudava, deixando uma professora morta.

O número de casos de atentados à escolas, cometidos geralmente por alunos ou ex-alunos, tem atraído olhares e preocupação porque tem subido nos últimos anos.

Com o aumento no número de casos, o poder público tem sido pressionado a oferecer respostas que aumentem a segurança nas escolas. Governos municipais, estaduais e federal tem sentido a pressão.

Após o caso de Blumenau, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, comunicou a decisão do governo federal. Como primeira ação efetiva, o governo vai liberar verba de R$150 milhões para rondas escolares.

Além disso, o monitoramento online também ganhou reforço. Atualmente, o trabalho era feito por 10 agentes federais, mas o número vai subir para 50. Neste tipo de monitoramento, os agentes sinalizam movimentações suspeitas, como identificação de núcleos nazistas ou supremacistas, por exemplo.

Outra medida do Governo Federal foi a criação de um grupo entre ministérios para criar novas medidas de enfrentamento ao aumento no número de casos. Além da pasta de segurança, outras pastas, como a da educação, participam do grupo.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais