Vítimas de grave acidente aéreo no AC são identificadas apenas após 1 mês da tragédia

Nesta terça-feira, dia 28 de novembro, foram identificados os corpos do copiloto Kleiton Lima Almeida e Antônio Elizangela, mortos em um trágico acidente aéreo que aconteceu no dia 29 de outubro. As vítimas apenas foram identificadas após quase um mês da situação.

Devido ao estado em que os corpos ficaram, foi necessário a utilização de técnicas de DNA para realizar o reconhecimento. Se tratou de um trabalho demorado e minucioso.

Continua depois da publicidade

O diretor-geral do Departamento da Polícia Técnico-Científica, Sandro Martins, deu mais detalhes diante do assunto e alegou que toda a situação envolveu técnicas delicadas que exigiram muitas repetições por parte da equipe de peritos.

“Devido às amostras, já sabíamos que uns iam ser mais fáceis, de certa forma, de identificar e outros não. Identificamos dois com a comparação dos perfis genéticos e deu certo”, disse ele, contando o que teria acontecido.

Agora, os corpos serão passados para o IML (Instituo Médico Legal). E com isso, a família deverá ir até o local para realizar a liberação para o velório.

Para o trabalho envolvendo DNA, é necessário extrair materias genéticos das vítimas. Porém, antes disso, o material precisa passar por um processo de descalficação para que os peritos possam acessar esse DNA que fica protegido por conta dos ossos. Esse procedimento requer delicadeza e tempo.

Além da queda, o avião explodiu, o que deixou as vítimas carbonizadas. A aeronave tinha destino a Envira, no Amazonas. A situação continua a ser muito lamentada.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais