Tiro que ceifou a vida do policial da Rota em Guarulhos foi disparado a mais de 50 metros de distância por ‘sniper do tráfico’

De acordo com informações fornecidas pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o disparo fatal que resultou na morte do soldado Patrick Bastos Reis, de 30 anos, da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar), foi realizado a uma distância de até 70 metros.

Durante uma operação realizada na última sexta-feira (28/07) para solucionar o crime, ao menos um homem, apontado pela polícia como um dos principais líderes do tráfico no Guarujá, litoral de São Paulo, foi morto, e outros dois indivíduos foram detidos.

Continua depois da publicidade

“Importante dizer que foi um projétil disparado por 50 e até 70 metros de distância. Disparado por um projétil calibre 9 mm. Provavelmente o mesmo disparo que acertou um policial. Entrou no ombro do soldado Reis e levou a óbito”, relatou Guilherme Derrite secretário da SSPSP.

Conforme relatado pelo Secretário Derrite, a inteligência policial conseguiu identificar o local de onde foi realizado o disparo que resultou na morte do policial militar.

Essa informação surgiu a partir de uma nota fiscal encontrada em posse de um dos suspeitos, relacionada a uma lanchonete. Durante a investigação, os agentes detiveram uma mulher que, segundo o secretário, desempenhava uma espécie de trabalho logístico para os criminosos.

Essa mulher era responsável por levar alimentação e bebidas até os traficantes, atuando como uma facilitadora para o grupo. Na operação realizada ontem, foram presos alguns suspeitos.

Dentre os presos, esta o indivíduo que é apontado como responsável por disparar contra o soldado e também contra o cabo Fabiano Oliveira Marin Alfaya, de 39 anos, que foi ferido sem gravidade.

Durante o patrulhamento, os policiais da Rota foram surpreendidos por tiros vindos de pessoas que estavam na favela Vila Zilda. O soldado Reis foi atingido no tórax, e o cabo Oliveira sofreu um ferimento na mão.

Ambos foram levados, na própria viatura em que estavam, ao Pronto Atendimento Municipal da Rodoviária (PAM), onde infelizmente o soldado Reis não resistiu aos ferimentos e veio a falecer.

O caso segue sob investigação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais