Procurado por ter tirado a vida da namorada rezou com ela antes de cometer o crime bárbaro

O indivíduo procurado pelo homicídio de sua namorada que aconteceu na cidade de São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, relatou ao pai da vítima que compartilhou uma prece com ela antes de cometer o ato fatal. Esta confissão foi registrada em conversas mantidas por meio de um aplicativo de celular.

Em outra mensagem, ele declarou que o falecimento da namorada ocorreu de forma “rápido e sem dor”. As autoridades policiais estão atualmente conduzindo uma análise do conteúdo.

Continua depois da publicidade

No domingo passado, dia 20, Aline Candalaft, de 31 anos, foi descoberta sem vida nas dependências de uma residência, de acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

No momento da descoberta, ela segurava um terço e portava dois bilhetes com trechos da Bíblia. O principal indivíduo sob suspeita pela ocorrência é Lucas Bonfim Lhama, de 34 anos, que era o namorado da vítima.

Conforme informado pela polícia, o indivíduo admitiu a autoria do delito ao pai de sua companheira, revelando minuciosamente os pormenores do ataque por meio de mensagens trocadas via telefone celular.

De acordo com Kelly Cristina Sacchetto, delegada responsável pelo caso, o suspeito deu detalhes de como matou a namorada para o pai de Aline.

“Ele contou ao pai da vítima que os dois rezaram juntos antes do crime”, afirmou a agente de segurança que está à frente das investigações.

Conforme o testemunho, o pai de Aline havia tentado se comunicar com sua filha nos últimos dias. Ele enviava mensagens para o casal, mas apenas Lucas respondia. O suspeito informava que a mulher estava indisponível.

Foi então que o pai de Aline passou a desconfiar de algo tinha acontecido com a filha e ao pressionar o suspeito ele acabou afirmando que havia cometido o crime, relatou a delegada.

“Eu limpei o sangue no rosto dela. Está morta na cama desde sexta-feira. Ela está morta, infelizmente não é mentira. Ela morreu rápido e sem dor”, diz uma das mensagens do suspeito.

Segundo relatos da polícia, o pai não tinha conhecimento do local de residência de Lucas, e foi o próprio acusado que forneceu o endereço ao pai, alegando que ele deveria verificar o óbito de sua filha.

Munido dessa informação, o pai imediatamente comunicou às autoridades, que se dirigiram ao local e descobriram o corpo de Aline ao lado da faca utilizada no crime.

foto colorida com print de conversa por WhatsApp em que homem confessa ao sogro ter matado a namoradafoto colorida com print de conversa por WhatsApp em que homem confessa ao sogro ter matado a namoradafoto colorida com print de conversa por WhatsApp em que homem confessa ao sogro ter matado a namoradafoto colorida com print de conversa por WhatsApp em que homem confessa ao sogro ter matado a namoradaÉ importante mencionar que Lucas já tinha sido detido anteriormente por estar envolvido na morte de seu próprio pai, em 2016. Após passar três anos sob custódia, ele foi libertado por decisão judicial devido ao seu diagnóstico de esquizofrenia.

Essa concessão de liberdade condicional se baseou na avaliação de uma equipe médica, conforme informou a delegada Kelly Cristina.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais