Pais se revoltam e denunciam com professor que apoiou atentado a creche

Um professor da Escola estadual Georg Keller, em Joinville, tem sido criticado por pais e alunos após uma declaração de apoio ao atentado que deixou quatro crianças mortas em uma creche de Blumenau.

Segundo informações confirmada pela Secretaria Estadual de Educação, o professor esta sendo investigado após ser flagrado dizendo que “mataria uns 15, 20. Entrar com dois facões, um em cada mão e ‘pá’. Passar correndo e acertando”.

O vídeo foi gravado por alunos e o áudio captado na gravação seria do professor em questão. A pasta afirmou que esta apurando o caso e que tomará as medidas cabíveis de acordo.

Ainda segundo informações sobre o caso, o professor é alvo de outras críticas. Segundo alunos, ele é conhecido por fazer comentários inapropriados e até mesmo criminosos, envolvendo casos de homofobia e racismo.

O mesmo professor, segundo denúncias dos alunos, também faz “incentivos” ao suicídio. Segundo relatos, ele teria sugerido que uma aluna se matasse para “poupar oxigênio” após a menor afirmar que estava triste.

Também segundo denúncias dos alunos, o professor também é conhecido por fazer comentários misóginos, que são comentários em desprezo ao gênero feminino.

Ele diz que mulher não deve ter os mesmos direitos dos homens. Ele xinga nas aulas. Ninguém gosta das aulas dele, todos ficam desanimados. O que ele ensina é errado“, relatou uma aluna.

Além disso, os alunos relatam que o professor já foi xenofóbico com alunos venezuelanos e praticou intolerância religiosa na sala de aula.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais