Padre perseguido por mulher que invadiu igreja toma atitude drástica meses após o ocorrido

Geraldino Rodrigues de Proença teve o seu nome em alta nos canais de comunicação após uma mulher ter invadido a igreja em que ele atuava como padre, apenas para conseguir se declarar para ele.

Na ocasião, a mulher entrou no local armada com uma arma de airsoft e decidiu se trancar no banheiro, alegando que apenas sairia após conversar com o religioso.

Continua depois da publicidade

A situação chamou atenção dos moradores locais. Diante da situação, após o acontecimento, o padre decidiu renunciar ao ofício de pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na região do Paraná.

De acordo com a instituição religiosa, a decisão teria sido tomada logo depois de uma recomendação médica por parte dos profissionais da saúde. A ocasião aconteceu em meados de julho deste ano.

Primeiramente, o padre Geraldino teria recebido um afastamento de trinta anos de suas funções. Agora, ele deixou o seu cargo que deverá ser ocupado por outro religioso muito em breve.

De acordo com informações divulgadas pela paróquia até o momento, existe a previsão de outra pessoa assumir sua posição em outubro, daqui a pouco mais de um mês.

“Agradecemos ao Pe. Geraldino por todo o bem que fez e toda a dedicação prestada a esta amada paróquia”, disse o bispo diocesano de Apucarana, Dom Carlos José de Oliveira.

Na ocasião, o padre declarou ao seu advogado que jamais chegou a ter relações de cunho amoroso com a mulher. Nas normas da igreja católica, padres não podem ter envolvimentos românticos ou sexuais com outras pessoas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais