Porque tipos específicos não fazem mal à saúde

Essa vai para os amantes de queijo. Existem pessoas que levantam a bandeira de defensoria dos queijos que já foram recusados por muitos e são julgados pela maioria.

Alguns dos tipos de queijo, os mofados, ao contrário do que muita gente pensa, são totalmente inofensivos à saúde diferentes de qualquer outro alimento que coleciona o mofo.

Continua depois da publicidade

A explicação é que no caso dos queijos, o fungo é inserido durante a produção para que se tornem parte da especiaria com direito a característica marcante que é a mudança de cor.

Existem dois tipos de categoria de mofos. Os azuis, como os roquefort e gorgonzola, e os de mofo branco, como o brie e o camembert. No caso dos azuis, quando misturados a coalhada, acontece o desenvolvimento dos micro-organismos.

E os brancos do tipo Penicillium camemberti são adicionados  já no final da produção para a formação da textura cremosa através de enzimas que são liberadas pelo fungo.

“Os fungos secretam enzimas digestivas em seu ambiente, decompõem as coisas em ácidos graxos simples, aminoácidos e carboidratos e depois os absorvem”, explica a microbióloga Heather Hallen-Adams.

Existe até uma lenda que rege a origem dos queijos mofados. Ela explica que um pastor teria se esquecido de um queijo em uma caverna e meses depois o reencontrou mofado com um fungo local, que seria o roquefort.

Vale ressaltar s cuidados com a ingestão de queijos que não estão mofados através do processo de inserção do fungo. Estes se tornam prejudiciais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais