Mulher e crianças são envenenadas com bolinho de chuva “batizado” com medicamento bastante conhecido

Este caso ganhou uma enorme repercussão após se tornar destaque nos principais portais de notícias do Brasil. De acordo com as primeiras investigações, o suspeito é um indivíduo de 52 anos.

O homem, que trabalha como pedreiro, foi detido sob suspeita de ter administrado veneno a sua esposa de 36 anos, ao filho dela e a um amigo da criança, ambos com 8 anos de idade.

Continua depois da publicidade

O caso aconteceu no último domingo (2), na cidade de Riacho Fundo II, localizada no Entorno do Distrito Federal e está sendo investigado pela 29ª DP, que está localizada na mesma região onde o crime aconteceu.

Depois de ingerirem bolinhos de chuva que foram preparados por José Jorge Alves da Silva na casa da família, as vítimas começaram a apresentar sintomas severos de intoxicação, incluindo sensação de queimação na garganta, sonolência e desconforto abdominal.

Dada a gravidade da situação, eles prontamente procuraram auxílio médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima, onde o diagnóstico foi suspeitado pelos médicos.

Os primeiros levantamentos da investigação apontaram que, um dia antes do incidente, o indivíduo adquiriu uma embalagem de clonazepam, um medicamento tranquilizante conhecido comercialmente como Rivotril.

“A compra foi confirmada por um funcionário da farmácia, que mencionou a venda do medicamento sem a devida prescrição”, relatou o delegado Lúcio Valente, responsável pelas investigações.

Em um relacionamento com o suspeito por um período de quatro anos, a vítima buscou medidas de proteção emergenciais e expressou seu desejo de participar do ‘Programa Viva Flor’, coordenado pela Secretaria de Segurança Pública.

Ela também informou às autoridades que havia vivenciado um histórico de abusos no relacionamento e mencionou tentativas anteriores de se separar do agressor.

José foi detido em flagrante, enfrentando acusações de tentativa de feminicídio e duas tentativas de homicídio. Agora, ele ficará à disposição da Justiça.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais