Desabafo de viúvo que perdeu esposa para depressão pós-parto comove; quais sinais você deve observar

A história de vida da estadunidense Ariana Sutton tem ganhado grande repercussão nas redes sociais. O caso veio à tona com força depois que o parceiro de Ariana, o policial Tyler Sutton, concedeu entrevista à TV local.

Tyler e Ariana tinham acabado de celebrar o nascimento de seus filhos gêmeos quando, 9 dias depois, ela tirou a própria vida. Emocionado, Tyler abriu o coração e confessou que não notou sinais de que algo estivesse errado.

Ariana já tinha tido sinais de depressão pós-parto, em 2018, e feito acompanhamento psicológico. Ainda assim, Tyler contou que tudo aconteceu rápido demais e ele próprio não percebeu que, dessa vez, a doença havia voltado.

Não havia sinais de que algo estava errado. Ela estava sempre brincando sobre seus tornozelos inchados e como mal podia esperar para beber uma grande xícara de café”, contou em depoimento.

No entanto, Ariana deixou uma carta na qual relata seu sentimento de exaustão e o quanto se sentia sufocada por tudo ao seu redor. “Ela disse que se sentia um fardo. Ela só precisava de ajuda“, lamentou o viúvo.

Depressão pós-parto

O caso traz à tona um problema que atinge milhões de mulheres todos os anos, que pode se manifestar em diferentes níveis e causar sintomas variados. Depressão pós-parto é uma variação da depressão, é séria e precisa ser tratada de forma adequada.

Um dos principais sinais em relação a depressão pós-parto é que, muitas vezes, a mulher apresenta dificuldade para se conectar com o bebê. Alguns sinais podem ser: desprezo pela criança; preocupação excessiva com a criança; obsessão com a criança; falta de afeto em relação à criança, dentre outros.

A mãe pode apresentar dificuldade para dormir ou se alimentar, perda da rotina, pensamentos confusos ou discursos repetitivos. Os sintomas podem ser variados.

O que importa nesses casos é procurar ajuda assim que algo estranho chamar a atenção. Muitas vezes, quem sofre de depressão não se da conta e é necessário que as pessoas ao seu redor estejam atentas.

Apenas um profissional qualificado é capaz de diagnosticar e acompanhar um quadro de depressão pós-parto, inclusive com prescrição de medicamentos caso julgue necessário.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais