Previsões de Nostradamus são sombrias, morte de um grande líder mundial, guerra, onda de uma doença pestilenta e fome

As previsões de Nostradamus, publicadas em 1555, são muitas vezes interpretados como um dos maiores enredos de suspense, ou até mesmo de terror, já produzidos.

Ano após ano, os textos do astrólogo, médico e vidente francês continuam a ser objeto de novas interpretações e pesquisas por parte daqueles que buscam vislumbrar o futuro.

Continua depois da publicidade

E no caso do próximo ano que se avizinha, a situação não é diferente. Segundo as suas escrituras, 2024 promete ser intenso em diversos aspectos, abrangendo desde as condições climáticas bastante adversas, graves tensões geopolíticas, além de mudanças significativas na família real britânica e no Vaticano.

Pesquisadores e estudiosos que estudam com afinco os 942 versos conhecidos como quadras afirmam quo o ‘profeta’ Nostradamus, por meio de suas previsões, teria antecipado a ascensão de Adolf Hitler, o assassinato de John F. Kennedy, os ataques de 11 de setembro, a pandemia de COVID-19 e até mesmo a morte da Rainha Elizabeth.

Esta última previsão, em particular, contribuiu para a inclusão do trabalho do vidente francês na lista de best-sellers em 2022.

As previsões de 2024, não trazem boas notícias, incialmente, as quadras sugerem que ocorrerá uma mudança no trono da Inglaterra, com a sucessão do príncipe Harry a Charles III.

De acordo com interpretações das centúrias, indicava-se um reinado breve para o filho mais velho de Elizabeth II, e o texto ainda profetiza que “logo após [uma guerra desastrosa], um novo rei será coroado / Que, por um longo período, trará paz à terra”, conforme reportado pelo IFLScience.

Segundo o autor britânico e especialista em Nostradamus, Mario Reading, Charles renunciaria devido a controvérsias envolvendo seu nome e o da Rainha Camilla. Contrariando a expectativa de que o trono seria ocupado por William, as profecias apontam para Harry, descrito como alguém que “não ostenta a marca de um rei”.

Ainda segundo os especialistas, Nostradamus previu um cenário de “combate e batalha naval”, no qual um “adversário vermelho ficará pálido de medo, colocando o grande oceano em pavor”.

A interpretação desse trecho sugere um conflito envolvendo a China, identificada como o “adversário vermelho”, e a questão naval pode estar relacionada a Taiwan, uma ilha que é foco de tensões na política internacional. Vale ressaltar que a China possui a maior marinha do mundo, o que complementa essa visão profética.

O meio ambiente também estaria entre as previsões de Nostradamus, e o panorama é preocupante. “A terra seca ficará mais árida e grandes inundações serão observadas”, registrou ele.

Os eventos climáticos se tornarão ainda mais intensos – um padrão que já está sendo observado em 2023 – e a fome mundial será alarmante, possivelmente associada ao surgimento de alguma doença. “Fome muito grande através de onda pestilenta”, previu o vidente. Se considerarmos as previsões de Nostradamus, o próximo ano promete ser repleto de desastres, mortes e dor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais