Quem é o motorista de aplicativo foi encontrado enterrado no meio de uma praça de Campinas (SP)

A morte do motorista de aplicativo Jean Carlos Santos Novais, cujo corpo foi encontrado enterrado em uma praça na Rua Buarque de Macedo, bairro Vila Nova, em Campinas (SP), ocorreu por asfixia, de acordo com o titular da Delegacia de Homicídios da cidade, Rui Pegolo, que está à frente das investigações.

O suspeito de ter cometido o crime é um comerciante de 54 anos que possui um estabelecimento comercial em frente ao local onde o corpo foi encontrado e que confessou o assassinato.

Na tentativa de encontrar o motorista de transporte por aplicativo Jean Carlos Santos Novais, desaparecido desde 18 de abril, sua família espalhou mensagens em redes sociais.

Foi apenas na última quinta-feira que a polícia, após investigação, encontrou o corpo do rapaz enterrado em uma praça na cidade de Campinas, localizada no interior do estado de São Paulo.

Apesar do estado de decomposição, o Instituto de Identificação Civil das Pessoas do Estado de São Paulo confirmou que o corpo era compatível com o do motorista de 26 anos.

O comerciante de 54 anos, proprietário de um comércio em frente ao local, confessou o assassinato, segundo o titular da Delegacia de Homicídios da metrópole, Rui Pegolo, que coordena a investigação. Veja o vídeo a seguir.

O crime que vitimou o motorista de 26 anos teve a autoria esclarecida, segundo o agente Pegolo. O comerciante proprietário do “Rei do Queijo”, um empório de venda de queijos e embutidos, confessou ter cometido o crime. Entretanto, as investigações continuam para descobrir qual foi a motivação do assassinato.

Autor do assassinato indicou onde o corpo estava enterrado e alegou que era extorquido pela vítima | Reprodução/SBT

O suspeito afirmou que matou o motorista na manhã do dia 18. Inicialmente, o corpo ficou escondido dentro do apartamento localizado na parte superior do comércio.

Durante a noite, o agressor enterrou a vítima em uma praça, depois de cavar uma cova com ajuda de um funcionário que pensava estar cavando um buraco para um cachorro.

A vítima e o autor do crime já tinham trabalhado juntos, segundo o suspeito, o motorista o estava extorquindo. A polícia localizou o acusado usando o rastreador do celular do homem morto.

O caso segue sob investigação.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais