Quem é jovem que foi encontrada sem vida e enterrada em um local usado para confinar gado

A polícia do estado de Santa Catarina está diante de um crime hediondo repleto de nuances misteriosas.

A Polícia Civil (PCSC), divulgou que o corpo de uma jovem de 23 anos foi descoberto enterrado em uma propriedade rural localizada no município de Tangará, região Oeste no interior do estado catarinense, após ter ficado desaparecida por uma semana. Nesta terça-feira (30), dois indivíduos de 24 anos foram detidos como suspeitos.

De acordo com as autoridades policiais, um dos homens mantinha um relacionamento amoroso com a vítima, identificada como Vanessa Martins. O caso está sendo investigado como feminicídio, porém, ainda não há informações disponíveis sobre a motivação por trás desse crime.

De acordo com as primeiras informações obtidas durante as investigações, acredita-se que o homicídio da jovem tenha ocorrido no dia 22 de maio, segundo relatos da polícia.

No entanto, o corpo da vítima só foi descoberto nesta última segunda-feira (29), em uma área pertencente a um frigorífico utilizado para o confinamento de gado.

De acordo com André Cembranelli, delegado responsável pelas investigações, antes de desaparecer, a vítima informou à sua família que passaria a noite na residência de um amigo.

No entanto, o pai dela ficou desconfiado quando recebeu mensagens da filha, já fora de casa, afirmando que havia conseguido um emprego em outra cidade e estava se mudando. As investigações revelaram que essas mensagens teriam sido redigidas pelos suspeitos.

“O pai da vítima, depois que a menina desapareceu, procurou saber com quem ela andava. E, então, ele passou a manter contato com um dos suspeitos. Chegou a ele procurando na cidade, que é pequena”, afirmou o agente de segurança André Cembranelli.

Durante o interrogatório, o suspeito confessou que mentiu para o pai da vítima quando afirmou que a jovem estava supostamente sendo mantida em cativeiro por traficantes na cidade de Videira, na mesma região. Preocupado com o desaparecimento, o pai comunicou imediatamente a polícia sobre a situação.

O suspeito foi localizado e interrogado na segunda-feira (29). Ele criou uma falsa hipótese de um suposto cárcere privado “para ganhar mais tempo”, entretanto, diante das autoridades locais ele acabou revelando o local onde o corpo estava enterrado. O suspeito confessou o crime e implicou a participação de um segundo indivíduo.

A Polícia Civil está aguardando os resultados dos exames para determinar oficialmente a causa da morte da vítima.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais