Presos fazem reféns durante rebelião em presídio de segurança máxima no Acre e deixam policial penal ferido

Detentos do presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro, em Rio Branco (AC) deram início, nesta quarta-feira (26/07), a uma rebelião que mantém policiais penais como reféns.

A rebelião teve início nesta quarta-feira e, segundo as informações disponíveis, ainda não foi encerrada. Ao longo da tarde, as autoridades tentaram promover negociações com os detentos, mas sem sucesso.

As informações mais atualizadas sobre o caso foram trazidas pelo Correio Braziliense, que revela que dois policiais foram feitos reféns e, pelo menos, um dos servidores chegou a ser ferido durante a crise.

Os relatos iniciais, compartilhados por testemunhas, apontam que um policial penal identificado como Janilson da Silva, de 41 anos, foi encaminhado ao hospital após ser atingido no rosto, de raspão, por um tiro de fuzil.

O governo estadual do Acre montou um gabinete especial para acompanhar e administrar a situação. Até o momento, no entanto, não foram divulgados balanços com números oficiais.

A nota oficial disponível aponta apenas que tudo começou na manhã desta quarta, quando um grupo composto por 13 presos começou uma rebelião. 20 policiais penais estavam fazendo o patrulhamento no momento da rebelião.

As informações iniciais apontam que os presos conseguiram tomar a arma de um dos policiais, prosseguindo para a rendição de um segundo policial e, depois disso, tiveram acesso a sala de armas.

A situação ainda não foi controlada. Moradores vizinhos do presídio foram orientados a deixar suas casas. No interior da unidade, os rebelados possuem fuzis, segundo as informações.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais