‘não fiz nada, não corri com ela’

Foi ao ar, no último domingo (26), uma reportagem detalhada sobre a chacina da última terça-feira (21). O crime bárbaro aconteceu em um bar de Sinop, no Mato Grosso, e resultou na execução brutal de sete pessoas.

Dentre os sobreviventes, está Raquel de Almeida, que acompanhava o marido e a filha, de apenas 12 anos, no bar. O local era conhecido por ter mesas de sinuca e reunir jogadores, como acontecia naquela tarde.

Continua depois da publicidade

Raquel sobreviveu ao massacre, mas assistiu o marido e a filha serem mortos. Larissa de Almeida tinha 12 anos e tentou fugir do local correndo, mas foi perseguida e morta no meio da rua, com tiro nas costas.

Todo o crime foi filmado por câmeras do circuito interno, que flagraram o momento que Larissa tenta fugir. Raquel, que também aparece nas imagens, aparenta choque com o que está acontecendo e nem sequer demonstra reação.

Ainda na entrevista, Raquel conta que os assassinos deram ordem para que ela se jogasse no chão. “E eu não fiz nada, não corri com ela“, lamenta. Raquel teve a bolsa roubada pelos criminosos, como mostra a filmagem.

Segundo as investigações, Edgar Ricardo de Oliveira e Ezequias Souza Ribeiro cometeram os crimes depois de perderem apostas no jogo da sinuca e acumularem uma dívida de R$ 4 mil. Os dois deixaram o local e voltaram armados, quando executaram os demais.

Ezequias morreu, em confronto com o Bope, enquanto Edgar se entregou a polícia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais