Mulher recebe multa por ‘se defender em excesso’ após ser alvo de crime sexual

Mais um caso de abuso sexual infelizmente foi registrado e ganhou repercussão na web. Felizmente, no entanto, a vítima conseguiu se defender e minimizar, de certa forma, a violência sofrida na ocasião em que foi atacada.

No entanto, o caso acabou viralizando na imprensa global por conta de uma decisão judicial. O caso aconteceu em Montenegro, mas tem ganho repercussão mundo afora. Na noite de 13 de agosto, Milica Zivkovic, 25, estava acompanhada de uma amiga quando foi atacada.

Continua depois da publicidade

As duas estavam a caminho de casa quando foram seguidas por um homem. O criminoso se aproximou e abordou as jovens, mas foi ignorado. Após ser rejeitado, ele alcançou as duas e atacou Milica, agarrando suas partes íntimas.

A moça, que já praticou kickboxing, conseguiu se defender e lutou por sua vida. Dando golpes com o punho fechado e com a mão aberta, ela conseguiu nocautear seu agressor e impedir que o estupro fosse concluído.

O caso foi à Justiça após a prisão do suspeito, que foi identificado apenas como UE. Apesar de ter sido preso, ele teve a opção de deixar a prisão ao pagar 300 euros, algo em torno de R$1.625.

Assustadoramente, Milica também foi condenada. Para o tribunal do país, Milica lutou de forma “excessiva” e acabou condenada por “violar a ordem e paz pública”. Ela foi condenada a pagar 85 euros, algo em torno de R$460.

A jovem afirmou que vai recorrer da decisão, declarou também que se sentiu “muito desconfortável” ao saber da decisão do tribunal. Ao falar sobre o caso, Milica afirmou que recebeu muito apoio, mas também lamentou ter sido criticada por muitas mulheres.

Milica agradeceu o apoio recebido, mas lamentou que ter recebido “comentários negativos, principalmente de mulheres que deveriam ser minhas maiores apoiadoras, mas, infelizmente, não somos todos iguais“.

O caso gerou comoção no país e até movimentou manifestação nas ruas. O primeiro-ministro do país também se manifestou em apoio à Milica e falou sobre reforma no Judiciário, para impedir que tais decisões voltem a se repetir.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais