Modelo hospitalizada sob suspeita de ter contraído febre maculosa desabafa: ‘medo de morrer’

O aumento no número de casos de febre maculosa pelo país, especialmente em São Paulo, tem gerado preocupação. Pelo menos duas mortes já foram confirmadas pela doença, enquanto outras estão sob suspeita.

Segundo a Secretaria de Saúde de Campinas, onde foi registrada uma explosão de casos, seis casos suspeitos estão sob investigação. Um desses casos é o da modelo Rosangela Davelli, de 40 anos de idade.

Na última segunda-feira (12/06), Rosangela começou a ter sintomas. Preocupada, ela procurou o hospital Vera Cruz, da rede privada, onde foi internada. Em entrevista ao Metrópoles, Rosangela admite que sentiu medo de morrer.

“Eu fiquei muito assustada. Chorei muito. Chorei com medo de morrer também. As enfermeiras que me tranquilizaram, falaram que eu estou medicada e segura. Se fosse no SUS, eu já tinha morrido”, contou.

Desânimo, cansaço, manchas vermelhas pelo corpo, vista embaçada, dor de cabeça e no corpo, além de calafrio e falta de apetite, foram os sintomas listados por Rosangela, que ainda afirmou ter sentido “tudo de ruim que se possa imaginar“.

Rosangela foi mais uma das pessoas que participou de um evento Fazenda Santa Margarida, que recebeu cerca de 3,5 mil pessoas, e é apontada pela Secretaria como foco do surto de casos.

A febre maculosa é uma doença perigosa, transmitida pelo carrapato estrela. A doença tem cura, desde que o tratamento seja iniciado até três dias após surgimento dos sintomas. No entanto, é uma doença perigosa e que pode causar a morte.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais