homem que tirou a vida da filha teria agido por vingança após ser condenado por abuso sexual

O delegado Roberto Fronza, responsável pelo caso do pai que matou a própria filha e o genro, em Galvão (SC), deu maiores informações sobre o caso. Fronza explicou onde se encontram as investigações.

De acordo com informações do delegado, a principal suspeita é de que Antônio Marcos Pereira de Oliveira, de 45 anos, identificado como autor do crime, teria agido motivado pelo desejo de vingança.

Segundo testemunhas, Antônio havia sido denunciado por estupro. A denunciante era sua própria filha, Poliana da Silva de Oliveira, de 24 anos, que foi vítima de abusos do próprio pai e conseguiu denunciar.

Antônio foi condenado em primeira instância, mas recorria em liberdade. Ele conseguiu invadir a casa onde a filha estava com o namorado, identificado como Ewerton Bett, de 30 anos. O casal foi morto no local.

No imóvel, Antônio ainda disparou contra outras pessoas e acertou duas. Uma das vítimas conseguiu revidar os tiros e matou o criminoso. As vítimas baleadas foram levadas para a delegacia.

O delegado explicou que ainda precisa ter acesso ao processo, de estupro pelo qual Antônio foi condenado, para confirmar a tese da motivação ter sido vingança. O delegado também esclareceu que ainda não tem confirmação de quem foi o autor dos disparos que mataram Antônio.

“Não podemos precisar ainda quem efetuou os disparos contra o autor, pois não conseguimos ouvir os sobreviventes, que estavam hospitalizados”, explicou o delegado.

Embora a polícia ainda não tenha confirmado a condenação em primeira instância do criminoso, a ficha criminal dele foi exposta e trata-se de uma lista extensa.

Antônio já tinha sido denunciado por calúnia, perturbação do sossego, desacato, rixa, furto, ameaça, injúria, lesão corporal e estupro.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais