Estudante que estava desaparecida perdeu a vida de maneira cruel, seu corpo foi encontrado ás margens de um rio

A estudante Regiane da Silva Oliveira, de 21 anos, estava desaparecida desde o último dia 17 de abril, após deixar as aulas noturnas no Centrão, quando foi vista com vida pela última vez.

Encontraram nesta quinta-feira (27) pela manhã, o corpo de Regiane da Silva Oliveira, 21 anos, em uma área de mata próxima ao Rio São Bartolomeu, em Planaltina (GO), no Entorno do Distrito Federal. A mochila da jovem também foi encontrada no local.

Durante uma coletiva realizada nesta quinta-feira, o delegado Thiago Oliveira da 16ª Delegacia de Polícia de Planaltina responsável pelas investigações do caso afirmou que Sérgio Alves da Silva, 42 anos, teria feito uma proposta para Regiane da Silva Oliveira, 21, de que a liberaria após estuprá-la se ela cumprisse suas exigências.

Sérgio Alves da Silva abordou Regiane da Silva Oliveira por volta das 20h, ameaçando-a o tempo todo com uma faca. De acordo com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o homem matou a estudante por medo de ela denunciar o estupro.

No dia 18 de abril, após cometer o crime, Sérgio enterrou o corpo da vítima em um local que ficou desaparecido por cerca de sete dias. A faca usada no crime não foi encontrada, e o suspeito alegou que a jogou em um curso d’água do Rio Bartolomeu.

Por volta das 15h30 desta quinta-feira (27), Sérgio Alves da Silva foi preso em São Gabriel, distrito de Planaltina de Goiás, após tentar se esconder por ter cometido um assalto na região.

O prefeito da cidade, o delegado Cristiomário de Sousa Medeiros, informou que o suspeito estava com um ferimento no pescoço e portando uma faca. Segundo as autoridades, Sérgio foi encontrado em um hospital da região, onde estava recebendo tratamento para os ferimentos.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais