Acusado de tirar vida de médica disse algo inacreditável para motorista de aplicativo após o crime

Logo após ter ocorrido o assassinato da médica, Thallita da Cruz Fernandes, de 28 anos, o namorado dela, Davi Izaque Martins Silva, pediu um Uber e conversou normalmente durante todo o trajeto com o motorista.

Sendo assim, ele desembarcou em frente a uma hamburgueria e ao sair do veículo chegou a declarar: “Cheiro de carne, né?”, disse ele, sendo que neste momento ele é o principal suspeito de ter cometido todo o crime. 

Continua depois da publicidade

As autoridades tiveram acesso à informação após o motorista ter se apresentado de forma voluntária em uma delegacia, na região de São José do Rio Preto, no interior Paulista, neste último sábado, dia 19 de agosto.

O corpo da médica foi encontrado dentro de uma mala no dia anterior.  Davi está preso de forma temporária. E em certo momento, ele admitiu que brigou com Thallita, no dia em que a Polícia achou o cadáver, mas contou que não se lembrava do crime. 

Para as autoridades, o suspeito teria matado a médica por não aceitar o fim do relacionamento e não querer perder a vida de alto padrão que mantinha por conta da relação que tinha com ela.

Ele trabalhava como caixa em uma lanchonete, enquanto a vítima era plantonista.  De acordo com o motorista de aplicativo, o suspeito estaria tranquilo e se comportou de forma normal ao pedir por uma viagem. 

O caso continua a ser investigado, mas a polícia acredita já ter componentes suficientes para concluir que o suspeito é o autor do crime. Agora, a polícia busca mais evidências.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

 Importante:   Este site faz uso de cookies que podem conter informações sobre os visitantes. ACEITAR Leia mais